:: Mercado

Abraciclo e Caixa firmam acordo para financiar motocicletas
Heloisa Valente
20/3/2017 11:54:00
Lançada pela Caixa Econômica Federal, em parceria com a Abraciclo, a linha de crédito deverá trazer novo fôlego para o setor de duas rodas

A Abraciclo (Associação Brasileira de Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares) e a Caixa Econômica Federal assinaram convênio para fomentar as vendas de motocicletas no País, além de oferecer linhas específicas para capital de giro para empresas e concessionárias.

Para Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, o convênio é uma conquista para o setor que vem sofrendo com a seletividade de crédito nos últimos anos. “A partir de agora, ficam renovadas as esperanças de aquecimento de vendas, já que com as linhas de financiamento os clientes terão novas possibilidades para comprar motos. Também para as empresas, o crédito será importante, fomentando a produção e manutenção de lojas. É um otimismo em cadeia: maior produção, maiores vendas, mais empregos no setor”, disse.

O vice-presidente de produtos de varejo da Caixa, Humberto Magalhães, explica que o convênio será importante porque vai ampliar as possibilidades de aquisição de motocicletas pelos clientes do banco, na medida em que o financiamento terá prazos e taxa mais convidativos. “Estendemos o prazo de financiamento para até 60 meses e a 90% do valor da moto, com taxas a partir de 1,75% ao mês. Com isso, mais clientes deverão conseguir colocar no seu orçamento as parcelas da compra”.

Em 2016, o grupo Caixa, que inclui o Banco PAN, foi responsável por aproximadamente 25% do mercado de financiamento de motos, com aplicação mensal de R$60 milhões. Segundo Fermanian, perto de 75% das vendas de motos são financiadas no Brasil, quase metade é responsabilidade dos bancos próprios das fabricantes e o restante dividido em outras instituições financeiras. “A expectativa é que essa linha da Caixa tenha potencial para atingir 10% do volume de vendas mensais”.

No ano passado, a Abraciclo registrou vendas de 900 mil motocicletas no País, mesmo patamar de 12 anos atrás. Agora, em 2017, os primeiros dois meses do ano seguem na mesma tendência, algo em torno de 70 mil unidades emplacadas por mês. “A previsão é que o balanço anual indique estabilidade em relação a 2016, o que já será um bom resultado diante das adversidades da economia. Por isso, o crédito poderá trazer novo fôlego ao setor de duas rodas”, finaliza Fermanian.



Voltar



Siga Mega Brasil


Copyright Mega Brasil Comunicação - Todos os direitos reservados