:: Reporter JCC

Empresa para ser cidadã: ter um propósito faz toda a diferença
Gabrielle Pirolla
30/5/2019 20:35:00
Ragina Moura, diretora de Comunicação Digital e Corporativa da Roche Brasil (foto: Luiz Machado)

Pioneira em medicina personalizada, a divisão farmacêutica da Roche foca em pesquisa e desenvolvimento de medicamentos biotecnológicos para necessidades médicas ainda não atendidas, e isso inclui doenças de alta complexidade como câncer, Alzheimer, esclerose múltipla, hemofilia e doenças respiratórias. Foi isso que contou Regina Moura, diretora de Comunicação Digital e Corporativa da Roche Brasil aos presentes à palestra “Empresa Cidadã- A Comunicação e o valor da vida: as fronteiras entre o negócio e o propósito da empresa”, no último dia (29/5) do Congresso Mega Brasil de Comunicação 2019,  no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo.

Diferentemente do que se pensava antigamente, os líderes e empresas mais inspiradoras partem do centro para fora do Golden Circle e não de fora para dentro, ou seja, dos propósitos. Eles dizem primeiramente no que acreditam, ou seja, o que os faz agir, e, dessa forma, conseguem se comunicar claramente, motivando as pessoas ao seu redor.

A mensagem chave da empresa é existir um senso de propósito estabelecido – um sentido do trabalho além do lucro, fazendo a conexão entre o valor único que a instituição oferece – propósito corporativo-necessidades do mundo, estando sempre um passo à frente “Doing now what patients need next” o propósito da Roche Brasil.

De acordo com

Regina Moura, em função dos millenials, também conhecidos como geração Y, o tema do propósito ganha ainda mais força. Daqui a seis anos, em 2025, em média 75% da força de trabalho vai ser dos millenials. “Para essa geração ter um propósito não é mais um diferencial e sim uma premissa, pois eles buscam trabalhar em uma empresa que tenha causa e impacto positivo na sociedade”, completou.  “Em suma, se a maioria do time da empresa é composto por essa geração que tem como foco sustentabilidade, diversidade e temas relevantes, as interações virtuais mudaram não só as relações midiáticas e sociais, mas também as relações de trabalho... como o enorme mercado digital que temos hoje”, finalizou.

, em função dos millenials, também conhecidos como geração Y, o tema do propósito ganha ainda mais força. Daqui a seis anos, em 2025, em média 75% da força de trabalho vai ser dos millenials. “Para essa geração ter um propósito não é mais um diferencial e sim uma premissa, pois eles buscam trabalhar em uma empresa que tenha causa e impacto positivo na sociedade”, completou.  “Em suma, se a maioria do time da empresa é composto por essa geração que tem como foco sustentabilidade, diversidade e temas relevantes, as interações virtuais mudaram não só as relações midiáticas e sociais, mas também as relações de trabalho... como o enorme mercado digital que temos hoje”, finalizou.



Voltar



Siga Mega Brasil


Copyright Mega Brasil Comunicação - Todos os direitos reservados